09/06/2015 14h56 - Atualizado em 09/06/2015 15h28

LIVRE ARBITRO

LIVRE ARBITRO

O livre arbítro é apanágio de todo povo permeado por cultura assentada no cristianismo. A cultura – que é feita de hábitos – de início é apenas uma combinação de campo, a agricultura, com  religião. É por isso que dizemos que vamos ao templo – seja ele qual for – prestar culto a Deus.

A crença definitiva no destino é marca dos povos islâmicos. Os árabes, por exemplo, são marcados pelo maktub, está escrito. Mas não foram os povos islâmicos que, primeiramente, consideraram a fatalidade do destino. Na mitologia romana, as fadas eram entidades que cuidavam do destino das pessoas. Na mitologia grega, parte desta tarefa cabia às moiras. Ainda na mitologia romana, havia a sorte, a Fortuna. Com o tempo, fortuna passou a ser sinônimo de dinheiro, mas sempre entendida em termos híbridos. A sorte seria – então – mesclada com muito dinheiro. Italianos gostam muito do nome feminino Fortunata que – para tentar ser claro – conheci bem umas tres, na minha infância e na minha adolescência.

A respeito do livre arbítrio, convém anotar – para os interessados – a obra clássica de santo Agostinho sobre o assunto. É um pequeno grande livro cujo título é este mesmo: o livre arbítrio. Que nos é dado por Deus como bônus mas que, como todo bônus – ensina-nos a dialética de  Hegel, filósofo alemão – tem o ônus da responsabilidade. O que, em verdade, não ocorre com o destino. A única pequena variação do destino é a explicação que alguns presbiterianos oferecem a respeito da teoria da predestinação, aceita por parte dos cristãos. Mas, não por todos. É um assunto a respeito do qual ainda pretendo opiniar nesse espaço, se Deus assim o permitir.

Vicente Golfeto

"Vida, Viver é expressar todos os dias um sorriso de calma. É se apresentar nesse pequenino palco que é a terra. É buscar do público fiel (sua alma) aplausos por estar vivo. Atue com perseverança, se arrisque, ame, viva, pois somos o produto de nossas ações e de nosso comportamento". 

Vicente Golfeto - Professor, Comentarista econômico do telejornal da TV Clube (Rede Bandeirantes), Diretor do Instituto de Economia da Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto, Colunista do Portal Vaievemdavida  e Jornal A Cidade.
* As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Portal de Notícias www.vaievemdavida.com.br.

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTE TEXTO Facebook Twitter