01/04/2015 15h15 - Atualizado em 01/04/2015 15h16

UM PAÍS, EM GERAL - E UMA CIDADE, EM PARTICULAR...

UM PAÍS, EM GERAL - E UMA CIDADE, EM PARTICULAR...

Um país, em geral – e uma cidade, em particular – precisa ter, ao mesmo tempo, capital econômico e capital social. Que são bem diferentes. O capital econômico nasce da interação dos agentes que atuam no mercado, enquanto o capital social – uma expressão cunhada pelo cientista político norte-americano, Samuel Huntington – nasce do útero da educação mais na linha da formação do que na linha da formatura. Portanto, o capital social nasce da combinação da formação do caráter, da construção do psiquismo e da geração do temperamento.

Quando a economia vai bem, o capital econômico faz o nível de renda em geral melhorar. Como riqueza nada mais é do que renda acumulada, segue-se que as pessoas – e mesmo o país – ficam mais ricas, com melhor nível de vida e de conforto. Mas – ao mesmo tempo – precisam de reforçar e melhorar o seu capital social. Ele traduz a equação da confiança e do respeito, dos direitos e do convívio harmonioso entre grupos e – singularmente – entre as famílias e as pessoas. A alternativa é – com a redução do capital social – haver queda acentuada no nível de bem-estar coletivo. Que não se confunde com conforto. Bem-estar é centrífugo, isto é, ele vem de dentro para fora. Já conforto é centrípeto, isto é, ele caminha de fora para dentro. É quase seu envólucro, sua embalagem.

Quando o capital social diminui – e, mesmo, quando estagna em níveis baixos – aumentam os atritos dentro da sociedade e, fatalmente, os indivíduos se matriculam no vestibular da infração de leis penais. A criminalidade tende a crescer mais exatamente quando – numa sociedade – o capital econômico aumenta mas o capital social diminui.

Vicente Golfeto

"Vida, Viver é expressar todos os dias um sorriso de calma. É se apresentar nesse pequenino palco que é a terra. É buscar do público fiel (sua alma) aplausos por estar vivo. Atue com perseverança, se arrisque, ame, viva, pois somos o produto de nossas ações e de nosso comportamento". 

Vicente Golfeto - Professor, Comentarista econômico do telejornal da TV Clube (Rede Bandeirantes), Diretor do Instituto de Economia da Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto, Colunista do Portal Vaievemdavida  e Jornal A Cidade.
* As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Portal de Notícias www.vaievemdavida.com.br.

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTE TEXTO Facebook Twitter