15/03/2016 10h56 - Atualizado em 15/03/2016 11h03

24 fotos que o governo da Coreia do Norte não quer que você veja

Fotógrafo mostra a realidade do país

24 fotos que o governo da Coreia do Norte não quer que você veja
MILITARES ESTÃO PRESENTES EM TODOS OS LUGARES DO PAÍS. ATÉ DE FOLGA, ELES USAM OS UNIFORMES (FOTO: MICHAL HUNIEWICZ)
Créditos: Matéria Galileu

Quando decidiu ir à Coreia do Norte com o objetivo de mostrar o cotidiano ignorado pelas coberturas jornalísticas feitas no país, o fotógrafoMichal Huniewicz recebeu conselhos de colegas para que desistisse da viagem. "Me disseram que eu seria preso caso fotos proibidas fossem encontradas", ele escreveu em um post no Facebook.

Apesar de ter tomado uma bronca do guia norte-americano que o acompanhou - "Você tirou muitas fotos. Muitas" -, conseguiu sair do país com o registro fotográfico que fez praticamente intacto.

Confira abaixo algumas das cenas fotografadas por Huniewicz:

Diferença entre a fronteira da Coreia do Norte (esquerda) e da China (direita) (Foto: Michal Huniewicz)
Documentos necessários para ter a entrada no país autorizada são extensos e detalhados (Foto: Michal Huniewicz)
Quartel com a inscrição: "O Partido Comunista nunca se esquecerá dos companheiros de Rakwon". Rakwon é uma das cidades mais pobres do país (Foto: Michal Huniewicz)
Para se locomover de uma cidade a outra, os norte-coreanos precisam de autorização prévia (Foto: Michal Huniewicz)
Apesar dos investimentos nas forças armadas, a locomoção dos soldados é precária (Foto: Michal Huniewicz)
"Quando cheguei na estação ferroviária, tive a impressão de que a movimentação era ensaiada. Comprovei ao saber que nenhum trem chegaria ali a não ser o que nos deixou lá", conta o fotógrafo (Foto: Michal Huniewicz)
Na capital Pyongyang, o fotógrafo não foi autorizado a dar um passo fora das rotas traçadas e acompanhadas pelo guia do governo (Foto: Michal Huniewicz)
A arquitetura das cidades é "brutal", diz o fotógrafo (Foto: Michal Huniewicz)
Panorama de Pyongyang vista do hotel (Foto: Michal Huniewicz)
No hotel, o 5º andar não podia ser acessado pelo elevador e tinha as portas trancadas pela escadaria (Foto: Michal Huniewicz)
"Não pude interagir com as pessoas. Elas até pareciam assustadas com a minha presença", explica o fotógrafo (Foto: Michal Huniewicz)
Praça Kim Il-Sung, o tipo de foto que eles querem que seja tirada, explica ele (Foto: Michal Huniewicz)
Poucas pessoas são autorizadas a morar em Pyongyang. Para comprovar que foram autorizadas, precisam ostentar um broche em suas vestimentas (Foto: Michal Huniewicz)
É proibido fotografar estátuas sem mostrar o rosto dos líderes  (Foto: Michal Huniewicz)
Mercado em Pyongyang. A foto foi tirada secretamente, porque era proibido registrar o local (Foto: Michal Huniewicz)
Souvenirs da cidade se resumem a livros sobre os líderes e figuras históricas do país (Foto: Michal Huniewicz)
Durante os dias normais, pouca gente circula nas ruas da capital (Foto: Michal Huniewicz)
As ruas e avenidas são largas, mas quase não há carros nas vias (Foto: Michal Huniewicz)
Todos os trabalhadores a serviço do governo fazem seus serviços uniformizados (Foto: Michal Huniewicz)
Cidades são muito limpas, mas, às vezes, cenas como essa são flagradas (Foto: Michal Huniewicz)
Cartazes da ideologia comunista estão espalhados por todos os lugares (Foto: Michal Huniewicz)
Norte-coreanos indo ao trabalho (Foto: Michal Huniewicz)

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter