21/03/2016 10h32 - Atualizado em 21/03/2016 11h56

Alugue seu imóvel durante as Olimpíadas e tenha uma renda extra

Fique atento às dicas para garantir o dinheiro a mais sem contratempos e prejuízos

Alugue seu imóvel durante as Olimpíadas e tenha uma renda extra
É preciso tomar alguns cuidados na hora de colocar um imóvel para ser alugado por temporada.
Créditos: Matéria G1

Os grandes eventos, seja esportivo ou cultural, realizados no Brasil podem se tornar uma grande oportunidade para garantir uma renda extra. No âmbito esportivo, foi assim com o Pan-Americano, em 2007, com a Copa do Mundo de Futebol, em 2014, e agora promete repetir a dose com as Olimpíadas 2016. Em tempos de crise, aproveitar a valorização do aluguel do imóvel no Rio de Janeiro no período das competições pode ser uma boa chance de juntar um dinheiro extra. Confira as dicas para alugar seu imóvel por temporada e aumentar a renda.

As Olimpíadas vão acontecer entre os dias 5 e 21 de agosto e as Paraolimpíadas serão realizadas entre 7 e 18 de setembro, ambas neste ano, no Rio de Janeiro. O parque olímpico será sediado na Barra da Tijuca, Zona Oeste, e outros três centros vão receber competições: Deodoro (Zona Noroeste), Maracanã (Zona Norte) e Copacabana (Zona Sul). A tendência é que, nestes períodos, o fluxo de turistas brasileiros e estrangeiros aumente na cidade e, com isso, eleve a procura por hospedagem.

imoveis_olimpiada1 (Foto: Shutterstock)Aproveite as Olímpiadas para alugar um imóvel ou um quarto. Assim é possível aumentar a renda.

Muitos vão optar pelos tradicionais hotéis e albergues, mas outros preferem o conforto de ter um espaço só para eles. É neste último caso que colocar o imóvel para alugar pode ser uma possibilidade de ganhar uma renda extra. Mesmo quem não tem uma casa ou apartamento disponível, pode optar por alugar um quarto no imóvel. Mas é bom ficar atento a algumas atitudes para garantir que a transação se torne de fato positiva para o bolso e não vire uma dor de cabeça e prejuízo.

O primeiro passo importante é pesquisar o preço cobrado, tanto em aluguel quanto em hotéis e albergues, na região do seu imóvel para ter uma base de preço.

Preste atenção também na hora de anunciar:

– Descreva bem o imóvel, com as benfeitorias e serviços, porque quanto mais detalhes, melhor;
– Indique as formas de acesso aos locais de competição, com mapas e indicações de meios de transporte;
– Anuncie em outras línguas, com inglês;
– Esteja acessível para esclarecer dúvidas;
– Use muitas fotos para que seja possível ter noção de como é o espaço dos cômodos, da vista e da área de lazer.
Se possível, ofereça peq
uenos mimos para atrair os hóspedes, como café da manhã, traslado para o aeroporto e serviço de guia. Antes de fechar negócio, pesquise sobre o futuro hóspede, solicite documentos escaneados e faça buscas em redes sociais e SPC e Serasa.

“Garantir uma renda extra é muito vantajoso, principalmente neste momento de retração econômica que o Brasil está passando, com aumento do desemprego, queda da renda e incerteza sobre o futuro. Mas, antes de fechar o contrato, é preciso tomar algumas medidas de segurança, como pesquisar sobre o futuro inquilino e, mesmo que seja um contrato temporário, deixar tudo documentado. “, alerta José Rodolfo Melo Cavalcante Rodrigues, contador e coordenador do curso de Ciências Contábeis da faculdade Uninassau.

Portanto, na hora de fazer o contrato, é imprescindível prestar atenção a todos os detalhes. Se possível, comece fazendo uma versão em inglês também, caso o aluguel seja para estrangeiros. Nele, é fundamental descrever todos os móveis e utensílios, além das quantidades. Também anexe fotos para ficar mais fácil de provar se houver algum dano e faça um laudo de vistoria, antes da chegada do inquilino e na partida. Não deixe de colocar no contrato as regras de conduta do condomínio para evitar multas em casos de infração.

Outra atitude de precaução é exigir um valor de sinal na hora da assinatura do contrato para evitar prejuízo em caso de desistência. Fique atento também ao prazo de aluguel. Um imóvel pode ser alugado por até 90 dias por temporada, afinal de contas, por um período maior do que esse se torna um contrato tradicional e fica mais difícil de exigir a saída do hóspede.

Por último, se possível, contrate um seguro residencial. Caso já tenha um, verifique as cláusulas e se os danos causados por terceiros estão acobertados.

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter