01/02/2014 14h23 - Atualizado em 01/02/2014 14h27

Após 1 ano e 8 meses fechado, Teatro de Arena reabre em Ribeirão Preto

Inauguração acontece neste sábado com programação de shows. Obra custou R$ 1,2 milhão e sofreu atraso de 1 ano e três meses

Após 1 ano e 8 meses fechado, Teatro de Arena reabre em Ribeirão Preto
Teatro de Arena ficou quase dois anos em reforma e reabrirá no dia 1º de fevereiro (Imagem: Reprodução/ EPTV)

Fechado há um ano e oito meses para reforma em Ribeirão Preto (SP), o Teatro de Arena volta às atividades na manhã deste sábado (1º). A reabertura acontece com atraso de um ano e três meses, já que, a princípio, a Prefeitura havia anunciado que os trabalhos seriam concluídos em outubro de 2012. No ano passado, a reinauguração chegou a ser agendada para junho, em meio às festividades do aniversário da cidade, mas o evento foi cancelado porque o local precisava de readequações na segurança, segundo os bombeiros. As obras custaram R$ 1,2 milhão.

Desde que foi inaugurado em 1969 com projeto assinado por Jaime Zeiger, o Teatro de Arena que leva o nome de seu idealizador passou apenas por duas reformas - a primeira em 1986 e a segunda em 2012, com os trabalhos iniciados em maio.

A área de 6 mil m² e com capacidade para 2,1 mil pessoas, teve os camarins ampliados, o palco ampliado, a bilheteria reativada, novos sanitários construídos, e cabine de som, rampas de acessibilidade, elevador, iluminação, catracas e piso instalados.

No entanto, algumas mudanças foram criticadas pelo Movimento Pró-Arena, organização que pleiteou a revitalização do espaço. O fosso de um metro de fundura que ficava no centro do teatro foi aterrado.

A arquiteta e membro do movimento, Claúdia Perencin, disse que a localização da caixa d’água e o aterramento do fosso em volta do palco são os pontos negativos da reforma. “Com o aterramento do fosso, ele deixará de ser usado como foi idealizado, embora ele não recebesse água há anos. Especialistas dizem que a acústica não será prejudicada. Já a caixa d’água, poderia ter ficado mais próxima da construção por uma questão estética”, diz.

A reestruturação dos sanitários foi uma das principais mudanças da reforma do Teatro de Arena de Ribeirão Preto (Foto: Reprodução/ EPTV)A reestruturação dos sanitários foi uma das principais mudanças da reforma do Teatro de Arena de Ribeirão Preto (Foto: Reprodução/ EPTV)

Segundo Maraca, com o solo rochoso e os declives do local não era possível levar a caixa d’água para perto da construção, devido à perfuração do poço artesiano. Os bombeiros exigiram que o fosso aterrado para evitar acidentes.

Ainda de acordo com Maraca, outras melhorias devem ser feitas nos próximos meses. “A entrada do teatro deve receber novo letreiro com o nome do arquiteto Jaime Zeiger, e uma intervenção artística deverá ser feita na fachada. Em breve, vamos convocar os artistas locais”, diz.

Outro ponto polêmico é com relação ao uso da lanchonete. O Movimento Pró-Arena sugere que o recurso arrecadado com a venda do bar possa ser utilizado na manutenção do teatro, mas alguns produtores locais pleiteiam a verba para pagar cachês artísticos. “Estamos estudando com o jurídico da Prefeitura antes de definir o que será feito com a verba da lanchonete. Temos uma licitação em aberto e vamos aguardar a conclusão disso para decidir o que é melhor”, afirma Maraca.

O bar do Teatro de Arena ganhou uma área coberta e mais espaço para receber o público (Foto: Reprodução/ EPTV)O bar do Teatro de Arena ganhou uma área coberta e mais espaço para receber o público (Foto: Reprodução/ EPTV)

Entraves
Problemas no adiamento da licitação, chuvas, readequações exigidas pelo Corpo de Bombeiros e até um corpo encontrado durante a reforma, fizeram, segundo a Prefeitura, que o término da obra fosse adiado. 

A previsão inicial era de que o novo teatro fosse entregue em outubro de 2012, mas à época, a prefeitura alegou que atrasos na licitação fizeram com que os trabalhos extrapolassem o prazo.

Em maio de 2013, o corpo de um homem foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros nas obras do teatro.

Já em junho, a secretaria chegou a incluir a reinauguração do teatro na agenda de eventos em comemoração ao aniversário de 157 anos da cidade, mas a reabertura foi adiada em decorrência de adequações de segurança, exigidas pelos bombeiros. Entre as cobranças estavam a alteração na dimensão dos corrimãos, de 80 centímetros para 1,05 metro, e a instalação de guarda corpo.

Segundo a Prefeitura, as mudanças não tiveram gastro extra.

 

Via G1

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter