08/03/2016 15h21 - Atualizado em 08/03/2016 15h27

Cidade australiana onde metade da população vive embaixo da terra

Moradores de Coober Pedy foram se mudando para o subterrâneo gradualmente, para se aproximar das minas de opala e para fugir do calor

Cidade australiana onde metade da população vive embaixo da terra
FAMÍLIAS DECIDEM VIVER EMBAIXO DA TERRA PARA SE APROXIMAR DAS MINAS OU PARA FUGIR DO CALOR (FOTO: DIVULGAÇÃO)
Créditos: Matéria Revista Galileu

Em 1985, o diretor George Miller decidiu que o filme “Mad Max 3: Além da cúpula do tempo” seria filmado na pequena cidade australiana de Coober Pedy. Mas o que levou o renomado diretor a pensar em gravar o longa de sua série apocalíptica nos rincões do sul da Austrália?
A resposta, por si só, já parece enredo de filme: Coober Pedy é uma cidade praticamente subterrânea, construída abaixo do quente deserto do país oceânico.

Fundada em 1915, a cidade, que hoje tem cerca de 3.500 habitantes – 16% deles pertencentes a tribos indígenas –, teve sua arquitetura moldada pelo minério de opala, a gema oficial da Austrália.Cerca de 70% da produção de opala do mundo vem de Coober Pedy. Entre outras raridades encontradas na cidade, está uma pedra que tem idade estimada em 65 milhões de anos.

A mudança da superfície para o subterrâneo foi gradual, à medida que os moradores se cansavam do deslocamento entre suas casas e as minas e eram castigados pelo calor de 45º C do deserto e pelo frio extenuante do inverno. Como não havia muitas alternativas para fugir do calor – apenas nos últimos dez anos a prefeitura começou um programa de plantio de árvores – os mineiros permaneciam embaixo da terra durante as horas de descanso. Foram ficando, ficando, até que alguns poucos resolveram se mudar com suas famílias e outros muitos os imitaram.

Além de encontrar um alívio para o calor, já que a temperatura embaixo da terra fica por volta dos 24º C, os moradores investiram em construções que o sol escaldante dificultaria. Nos bairros subterrâneos de Coober Pedy há museus, igrejas, poços e até casas com piscinas, além de ruas e trânsito de motos e bicicletas. “As pessoas fazem suas estantes de livros nas próprias paredes arenosas”, conta Michelle Provatidis, prefeita da cidade e proprietária de uma loja de opalas.

“A beleza de morar no subterrâneo é que tudo é muito calmo e tranquilo. O ar não se movimenta, não existe barulho de ar condicionado, e, já que não há janelas ou luz solar, é um lugar perfeito para uma ótima noite de sono”, explica Robert Coro, administrador do Desert Cave Hotel, que tem partes na superfície e embaixo da terra.

Confira fotos da cidade:

Boa parte da população da cidade trabalha nas minas de opala (Foto: Divulgação)
Casas subterrâneas de Coober Pedy têm até ligação elétrica (Foto: Divulgação)
Há quem prefira viver na superfície, em Coober Pedy (Foto: Divulgação)
Igreja Ortodoxa Sérvia na parte subterrânea de Coober Pedy (Foto: Divulgação)
Opala lapidada extraída das minas de Coober Pedy (Foto: Divulgação)
Sala de lazer de um hotel subterrâneo de Coober Pedy (Foto: Divulgação)
Tem até livraria abaixo da superfície da cidade (Foto: Divulgação)
Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter