28/03/2016 11h17 - Atualizado em 28/03/2016 11h20

Conselheiros veem amadorismo e descalabro no Palmeiras

A derrota por 4 a 1 para o Água Santa, a quarta consecutiva sob o comando de Cuca e que aproximou o Palmeiras da zona de rebaixamento do Campeonato Paulista, irritou conselheiros da agremiação

Conselheiros veem amadorismo e descalabro no Palmeiras
© Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press Presidente Paulo Nobre é pressionado a reavaliar departamento de futebol
Créditos: Matéria MSN

A derrota por 4 a 1 para o Água Santa, a quarta consecutiva sob o comando de Cuca e que aproximou o Palmeiras da zona de rebaixamento do Campeonato Paulista, irritou conselheiros da agremiação. Um grupo se manifestou contra o que considera amadorismo e uma situação de despreparo na condução do futebol do clube.

“Vimos, pela presente, nos manifestar contra o atual estado de descalabro em que se encontra o Departamento de Futebol Profissional de nossa entidade. (…) profissionalismo não é contratar um monte de profissionais caros, mas sim traçar metas claras e procedimentos para alcançá-las”, destaca o manifesto do grupo que se intitula “SOMOS PALMEIRAS”.

Em meio às críticas, os conselheiros citam os casos de Cleiton Xavier e Fellype Gabriel, que chegaram no ano passado e raramente vão ao gramado até para treinar. Há ainda a confissão pública do diretor de futebol Alexandre Mattos de que já se cogitava demitir Marcelo Oliveira no final de 2015, decisão tomada apenas no começo deste mês.

A preocupação fica maior porque o time tem só cinco vitórias em 16 jogos oficiais na temporada, está fora da faixa de classificação em seus grupos tanto no Campeonato Paulista quanto na Copa Libertadores da América e aparece a três pontos da zona de rebaixamento do Estadual, com três rodadas para terminar a primeira fase.

“Preferimos requerer que a atual gestão, que se findará no final do presente ano, tome todas as medidas necessárias para afastar qualquer risco de rebaixamento no Campeonato Paulista, e, posteriormente, reavalie todo o Departamento Médico e Físico, se furte de avalizar contratações de jogadores sem condições físicas”, aponta o manifesto, cobrando ações para que a torcida esteja mais presente – no domingo, o Palmeiras será mandante diante do Corinthians, no Pacaembu.

“E como medida emergencial sugerimos a redução drástica do valor dos ingressos, de modo que nossa torcida possa efetivamente estar presente para apoiar a nossa equipe, já que esse apoio foi essencial para a conquista da Copa do Brasil! E nunca podemos perder o respeito e abrir mão do nosso maior patrimônio: a nossa torcida!”, prossegue o documento.

Confira a íntegra do manifesto do grupo de conselheiros:

“Nós, conselheiros da Sociedade Esportiva Palmeiras, que fazemos parte do grupo SOMOS PALMEIRAS, mas antes de tudo torcedores de tão grandiosa instituição, vimos, pela presente, nos manifestar contra o atual estado de descalabro em que se encontra o Departamento de Futebol Profissional de nossa entidade. 

Poderíamos aqui elencar os erros, as falhas, a desorganização, o amadorismo (sim, o amadorismo! Já que profissionalismo não é contratar um monte de profissionais caros, mas sim traçar metas claras e procedimentos para alcançá-las) e a falta de planejamento (afinal, como se contratam 8 reservas, e se mantém um técnico, que nas palavras do diretor de futebol já estava programado para ser substituído desde dezembro, destruindo toda a pré-temporada e afetando a composição do elenco?). 

Preferimos requerer que a atual gestão, que se findará no final do presente ano, tome todas as medidas necessárias para afastar qualquer risco de rebaixamento no Campeonato Paulista, e, posteriormente, reavalie todo o Departamento Médico e Físico, se furte de avalizar contratações de jogadores sem condições físicas (como o Presidente da Diretoria Executiva fez nos casos de Cleiton Xavier e Fellype Gabriel), e se contratações se fizerem necessárias que sejam de jogadores à altura da nossa história e das nossas tradições!

E como medida emergencial sugerimos a redução drástica do valor dos ingressos, de modo que nossa torcida possa efetivamente estar presente para apoiar a nossa equipe, já que esse apoio foi essencial para a conquista da Copa do Brasil! E nunca podemos perder o respeito e abrir mão do nosso maior patrimônio: a nossa torcida! 

É o que propomos para o Palmeiras realmente ocupar o lugar que é seu por direito!”

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter