06/05/2016 09h12 - Atualizado em 06/05/2016 10h36

Dor de cabeça: 4 de cada 5 homens no Brasil têm cefaleia

Existem mais de 200 tipos de dores de cabeça e o uso indiscriminado de analgésicos pode piorar o quadro

Dor de cabeça: 4 de cada 5 homens no Brasil têm cefaleia
ANALGÉSICOS SÃO VERDADEIROS BOMBEIROS CONTRA A DOR DE CABEÇA (FOTO: GETTY IMAGES)
Créditos: Matéria GQ

Se você não sentiu nenhum tipo de dor de cabeça nos últimos 12 meses, considere-se uma pessoa de sorte. Calcula-se que 80% dos homens no Brasil e nos países ocidentais sofrem ataques de dores de cabeça, conhecidas no mundo médico como cefaleias, todos os anos.

Faz parte da maioria? Então saiba que tomar aquele comprimido nem sempre resolve. “A cefaleia precisa ser bem diagnosticada”, diz a neurologista Thaís Villa, Chefe do Setor de Cefaleias da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Se isso não é feito corretamente, o tratamento não funciona e pode até gerar problemas maiores ”, completa. Para não correr riscos, descubra o que são, quais os tipos mais comuns e como tratar as dores de cabeça:

Cefaleia e dor de cabeça são a mesma coisa?
Sim. Cefaleia é o termo médico para a famosa dor de cabeça.

Toda dor de cabeça é igual?
Não. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem mais de 200 tipos de cefaleias, dividas em primárias e secundárias.

Qual a diferença entre cefaleia primária e secundária?
Se você está apenas com dor de cabeça, você está com uma cefaleia primária. Agora, se a dor de cabeça vem no pacote de sintomas de uma virose, por exemplo, aí você está com uma cefaleia secundária, que é aquela que só acontece como decorrência de alguma outra doença.

Quais são as cefaleias mais conhecidas?
Dá para destacar três. Cefaleia tensional é a dor de cabeça do dia a dia, que atinge 60 milhões de brasileiros. Tem intensidade que varia de leve a moderada e demora até três horas. Como o nome sugere, é causada pela tensão muscular, sobretudo nos músculos da cabeça, do pescoço, dos ombros e da coluna. Existem casos de cefaleia tensional crônica, que podem demorar até uma semana para curar. Cefaleia em salvas atinge mais os homens do que as mulheres e tem como principal característica ser uma dor de cabeça muito forte e que pode gerar crises várias vezes durante o mesmo dia. Vem acompanhada de vermelhidão e inchaço nos olhos, suor e nariz entupido. Enxaqueca é hereditária e não tem cura. Pode demorar até 72 horas e normalmente tem sintomas como enjoo, vômito e tontura acompanham uma forte dor de cabeça durante as crises.


O que provoca a dor de cabeça?
Não existe um fator comum aos mais de 200 tipos de dor de cabeça, mas, no geral, os maiores gatilhos para as cefaleias são a ansiedade, o estresse, a tensão, longos períodos de jejum, muita exposição ao sol, as bebidas alcoólicas e o cigarro. Para quem sofre especificamente de enxaqueca, comidas como café e chocolate, e o excesso de barulho e claridade também são inimigos a serem combatidos.

Analgésicos resolvem?
Os analgésicos são verdadeiros bombeiros, que servem para apagar o incêndio. Você deve usar com cuidado e, se as dores acontecerem duas ou mais vezes por semana, é melhor deixá-los de lado e procurar um médico. E fique ligado no “efeito rebote”: o corpo pode se acostumar com o uso do analgésico e as dores voltarem pouco tempo após tomar o medicamento.

Como tratar?
O mais importante é evitar que a dor de cabeça ataque – para isso, hábitos saudáveissão fundamentais. Se a cefaleia for algo que te atinge raramente, o analgésico de sua preferência deve resolver. Agora, se você está sofrendo constantemente com as dores, é preciso ir ao médico e seguir rigorosamente as suas orientações. Em muitos casos, o paciente é aconselhado a tomar antidepressivos, relaxantes musculares e outros medicamentos que devem ser usados apenas com prescrição médica.

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter