12/05/2016 09h15 - Atualizado em 12/05/2016 10h26

Dores de cabeça: quais são os tratamentos e como prevenir as crises

Conheça os segredos para evitar e tratar seis tipos famosos de cefaleia

Dores de cabeça: quais são os tratamentos e como prevenir as crises
DOR DE CABEÇA? A GENTE EXPLICA (FOTO: GETTY IMAGES)
Créditos: Matéria GQ

Antes de pegar aquele comprimido milagroso cada vez que a dor de cabeça ataca, saiba que existem mais de 200 tipos diferentes delas. E é possível prevenir a maioria com alguns métodos para evitar os “gatilhos” que as disparam. A prevenção é, de acordo com especialistas, o grande segredo contra as dores de cabeça. “O mais importante no combate às dores de cabeça é justamente evitar que elas apareçam. Fazer anotações sobre frequência das crises e o que pode ter provocado pode ser importante para que elas não voltem”, afirma a neurologista Celia Roesler, da Sociedade Brasileira de Cefaleias.

Confira como prevenir e tratar alguns dos principais tipos de dor de cabeça. 

Astenopia
O que é?
É a dor de cabeça causada pelo desgaste na musculatura dos olhos. Em resumo: é aquela dor que ataca depois de muito tempo assistindo a televisão, mexendo no computador ou lendo.

Prevenção
Leia sempre em lugares com boa iluminação e pare de tempos em tempos para descansar a vista. O mesmo vale para quem passa muito tempo em frente ao computador ou à TV durante o dia.

Tratamento
Analgésicos comuns costumam funcionar bem. Se as dores forem constantes, é preciso consultar um oftalmologista. Óculos podem ser peças-chave no tratamento.

Cefaleia da tosse
O que é?
Uma dor que ataca os dois lados da cabeça e é mais comum em pessoas acima dos 40 anos. Costuma ser súbita e de curta duração.

Prevenção
Esse é um dos tipos mais difíceis de prevenir, visto que suas causas são pouco conhecidas. “Evitar esforços que podem provocar tosse e a consequente dor de cabeça é a maneira de evitá-la”, diz o neurologista Diego Salarini. Mas fique atento: a tosse e a dor podem ser indício de algo mais grave, como um tumor.

Tratamento
O anti-inflamatório indometacina é o mais indicado para o tratamento.

Cefaleia em salvas
O que é?
Considerada a mais forte das dores de cabeça, costuma ser confundida com a enxaqueca. Os ataques de dor, no entanto, são bem mais intensos, apesar da menor duração, e podem acontecer várias vezes ao dia.

Prevenção
O uso de remédios para hipertensão arterial é bastante usado para evitar as crises de cefaleia em salvas. Não existe um consenso entre os médicos sobre todos os motivos que geram a cefaleia em salvas, mas estresse e excesso de álcool são dois gatilhos conhecidos. É preciso evita-los.

Tratamento
Medicamentos da família dos triptanos são os mais indicados para tratar as crises – sempre com orientação médica. Inalação de oxigênio puro é outra forma de tratar este tipo de dor de cabeça.

Cefaleia hípnica
O que é?
Conhecida também como “cefaleia do despertador”, é aquela dor de cabeça que surge no meio da madrugada, durante o sono. É mais comum em pessoas acima de 50 anos.

Prevenção
A melhor forma de evitar este tipo de dor de cabeça é regular o sono, com horários definidos, para o corpo se acostumar.

Tratamento
São usados remédios com cafeína ou lítio. A melatonina, conhecida como “hormônio do sono”, também é usada.

Cefaleia tensional
O que é?
Essa é a dor de cabeça mais comum e que atinge mais de 90% da população. Como o nome indica, é causada pela tensão dos músculos da cabeça e suas proximidades.

Prevenção
Suas principais causas são o estresse, o esforço físico exagerado e a fome. Sua prevenção passa por evitar esses gatilhos.

Tratamento
Neste caso, um analgésico comum resolve. Mas é preciso ficar atento à frequência de dores. Se elas forem muito constantes e te atingirem por mais de duas semanas dentro de um mês, é considerada crônica e exige acompanhamento médico.

Enxaqueca
O que é?
Hereditária e sem cura, atinge mais de 30 milhões de brasileiros e é considerada uma das dores de cabeça mais incapacitantes que existe.

Prevenção
Tem muitos gatilhos que devem ser evitados, mas eles variam de acordo com a pessoa. Em linhas gerais, evite comidas gordurosas, excesso de bebida alcoólica, mudanças repentinas de temperaturas e muito barulho ou claridade. “Antidepressivos e controladores de pressão também ajudam a evitar as crises”, afirma Roesler.

Tratamento
Caso a crise de enxaqueca ataque, a melhor solução é o repouso em ambientes bem silenciosos e pouco iluminados. Analgésicos ajudam, mas com cautela: no máximo dois comprimidos em uma semana.

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter