12/05/2016 10h33 - Atualizado em 12/05/2016 11h14

Humor e saúde: cinco tendências da gastronomia que prometem ajudar

Pequenos produtores, humor refletido no preparo, carnes: o ano promete ser mais do que saudável aos entusiastas da boa alimentação

Humor e saúde: cinco tendências da gastronomia que prometem ajudar
SOPAS INJETAM ANIMO NOS ESTUSIASTAS POR DIETAS SAUDÁVEIS NESTE ANO (FOTO: VISUALHUNT)
Créditos: Matéria GQ

Se você é o que come, 2016 promete ser bem divertido e saudável para quem está antenado com o que acontece em torno da gastronomia. Isso porque movimentos que propagam novas maneiras de ver a comida, com novos focos e atitudes em relação ao que está no prato, nascem com espírito jovial e vão além das iguarias do momento.

O campo da alimentação saudável, como já apontamos, faz parte de um conceito maior: o fitster, uma das novas tendências de 2016 que engloba, além de hábitos particulares de dieta, o estilo atheleisure e academias pensadas para os novos tempos. Mas o que a gastronomia promete para o ano dentro desse contexto?

Daniela Bernauer, expert da WGSN Brasil, aponta quais serão as tendências da alimentação em 2016.


Super mood food

"A preocupação com a alimentação saudável continuará a evoluir, agora com o foco em criar uma conexão entre os alimentos e o nosso humor", analisa Daniela. Em termos práticos, sopas e shots de suplementos, além de sucos, serão modos de preparo a serem adotados neste ano. Pepino e couve flor são os vegetais - um grupo que continuará nos holofotes, segundo a expert - aparecem como opções de "super alimentos deixarão de fazer nos sentirmos bem, para nos sentirmos incríveis".

Mestres da Carne

Alex Atala e Jefferson Rueda: carne vira ingrediente fundamental  (Foto: Reprodução)

A despeito do crescimento do vegeteranismo consciente - e ele é compreensível inclusive por fatores científicos -, a carne é um dos alimentos a serem mais trabalhados e revigorados em 2016. "Independente da maneira com que seja feita, crua, cozida, frita, a carne será importante em 2016, e os açougues serão tão importantes quanto os próprios chefs de cozinha", crava Daniela, que já vè a tendência se manifestar em dois novos (bem-sucedidos) empreendimentos: a Casa do Porco, do chef Jefferson Rueda, e o Açougue Central, projeto de Alex Atala cujas obras finalizam em março.

Alimentação consciente

Desperdício: valores éticos custarão caro neste ano (Foto: Visualhunt )

As pessoas passam por um processo de conscientização gastronômica que vai além do prato. "A preocupação atual em relação aos produtos com glúten, lactose e carne irão se estender ao processo em que são produzidos os alimentos, com critérios como zero lixo, crueldade zero e que não impactem o ambiente sendo pensamentos-chave", pontua Daniela. De acordo com a analista, ser "saudável" não bastará mais para as empresas, outros valores terão de ser agregados ao comércio. O movimento já repercute nas esferas do Estado: uma lei recém-aprovada na França determina que os supermercados de mais de 400 metros quadrados doem para a caridade ou outros fins (ração animal, por exemplo) todos os alimentos que seriam descartados, mas ainda estão aptos para o consumo.

Beleza completa

UVO: suplemento liquido promete proteger a pele dos raios UVA. (Foto: Divulgação)

Uma alimentação regulada resulta em um corpo saudável, mas 2016 promete elevar essa relação a outros patamares. Segundo Daniela, "bebidas e comidas funcionais estão cada vez mais populares, focando nos benefícios visíveis com suplementos que prometem vitalizar a pele, cabelo e unhas". A expert cita a UVO, marca que desenvolveu e lançou no fim do ano passado um suplemento liquido que promete proteger a pele dos raios UVA. Alimentos conectados ao universo cosmético são o futuro.

Alimentação e agricultura

Feira Orgânica de Gramado: uma das várias espalhadas pelo Brasil (Foto: Reprodução/ Flickr)

Não só os entusiastas do mundo saudável irão se dar bem neste ano. Os pequenos produtores serão os grandes beneficiados das novas tendências da alimentação em 2016. Produtos mais baratos, sem agrotóxicos e diretamente da fazenda para a mesa de casa são os benefícios da valorização do agricultor e alimentação local, na aposta de Daniela. Além das tradicionais feiras de ruas, os orgânicos invadem espaços como oParque do Ibirapuera, com sua Feira de Orgânicos, e chegou até ao Shopping JK Iguatemi, um dos templos do consumo de luxo de São Paulo.

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter