18/04/2016 09h44 - Atualizado em 18/04/2016 09h45

Mulher conhece as sete maravilhas do mundo em duas semanas

Em 13 dias, Megan Sullivan viajou quinze vezes e passou por doze países

Mulher conhece as sete maravilhas do mundo em duas semanas
Imagem Reprodução/Divulgação
Créditos: Matéria Galileu

Doze países, quinze voos, mais de 45 mil quilômetros viajados, cinco noites em hoteis, um tripé confiscado, sete maravilhas do mundo, treze dias. Estes são alguns dos números da grande viagem empreendida por Megan Sullivan.

O que motivou a peregrinação da moça foi um mês infernal. Em um período de 30 dias,ela caiu enquanto escalava uma montanha no Parque Nacional de Yosemite, na Califórnia, foi atropelada por um carro e, como se tudo isso já não fosse o bastante, foi diagnosticada com câncer de pele. "Decidi fazer a viagem para investir em um novo olhar sobre a vida: quero viver mais o agora", ela contou ao site BoredPanda.

Confira abaixo fotos que Megan fez diante de cada maravilha do mundo visitada e alguns pequenos relatos sobre sua história:

1º dia - Chichen Itzá (México)

Chichen Itzá (Foto: Arquivo Pessoal/Megan Sullivan)

"Tudo começou no Vale de Yosemite, onde eu estava treinando já há três anos para conseguir escalar a rota The Nose, que tem mais de 880 metros. Neste dia em especial, eu estava a mais de 600 metros de altura, quando tive uma queda de mais de 150 metros. Depois de cair desse jeito, comecei a questionar tudo... Por que eu estava me colocando nessas situações aterrorizantes para fazer essas escaladas ambiciosas? O que eu estava tentando provar a mim mesmo, ou melhor, ao mundo?", conta Megan. 

2º dia - Machu Picchu (Peru)

Machu Picchu (Foto: Arquivo Pessoal/Megan Sullivan)

Ela ainda relata a continuidade do inferno pelo qual teve que passar: "Como se fosse um filme, somente uma semana depois, fui atropelada por um carro enquanto dirigia minha lambreta. Aí, durante uns exames de rotina, fui diagnosticada com câncer de pele. Tudo isso em menos de um mês". 

4º dia - Cristo Redentor (Brasil)

Cristo Redentor (Foto: Arquivo Pessoal/Megan Sullivan)

Apesar das tragédias, ela fala com bom humor sobre tudo o que aconteceu: "Meus amigos e familiares brincavam, diziam que era melhor que eu comprasse uma bolha para viver dentro. Mas, depois de perceber que isso seria muito caro e bastante inconveniente para minha vida amorosa, tive um momento de clareza e percebi uma coisa: Eu sobrevivi". 

6º dia - Coliseu de Roma (Itália)

Coliseu de Roma (Foto: Arquivo Pessoal/Megan Sullivan)

"Em toda a minha vida, meus momentos de maiores aprendizados aconteceram depois de grandes tragédias ou de grandes perdas. Momentos assim possibilitam mudanças radicais, abrem espaço para que tentemos coisas novas, ousadas e arriscadas", ela diz. 

8º dia - Petra (Jordânia)

Petra (Foto: Arquivo Pessoal/Megan Sullivan)

"Depois do pior mês da minha vida, comecei a repensar o modo como eu estava vivendo. Então, tive este pensamento: a única coisa que me impedia de ser tudo o que eu queria ser na minha vida era muito simples: eu mesma", explica Megan. 

11º dia - Taj Mahal (Índia)

Taj Mahal (Foto: Arquivo Pessoal/Megan Sullivan)

Ela ainda dá dicas para quem deseja seguir seus sonhos, mas ainda tem receio: "Eu sempre usei a desculpa de que não tinha tempo ou dinheiro, mas, no fim das contas, eram desculpas esfarrapadas. Eu estava mesmo era com medo de falhar. Eu precisava parar de pensar que meus objetivos eram inalcançáveis e precisava começar a pensar que eu tinha o poder de decidir como viveria minha vida a partir daquele momento". 

12º dia - Grande Muralha (China)

Grande Muralha da China (Foto: Arquivo Pessoal/Megan Sullivan)

"Os únicos arrependimentos que carrego comigo são as oportunidades que nunca aproveitei. Neste ano, tive a chance de aproveitar uma dessas oportunidades e caí de cabeça. Vou continuar me agarrando a toda chance de aproveitar a maior aventura de todas: a minha vida", finaliza Megan.

*Com supervisão de Cláudia Fusco

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter