03/05/2016 09h02 - Atualizado em 03/05/2016 09h22

Rebeldes fazem ataques em Aleppo e exército promete resposta apropriada

Ataque rebelde deixou mortos e feridos em hospital. Exército diz que Frente Nusra e Jaish al-Islam participam de ação

Rebeldes fazem ataques em Aleppo e exército promete resposta apropriada
Homem segura cartaz em solidariedade com o povo de Alepo, no norte da Síria, em protesto em frente à embaixada síria em Berlim, na Alemanha, na terça-feira (2) (Foto: Fabrizio Bensch/Reuters)
Créditos: Matéria G1

Um ataque rebelde a um hospital de Aleppo, no Norte da Síria, três mulheres morreram e 17 pessoas ficaram feridas nesta terça-feira (3), segundo a agência de notícias síria Ikhbariya. O exército sírio informou que os rebeldes fazem um ataque generalizado a areas civis e prometeu uma reação apropriada.

O hospital, que fica em uma área controlada pelo governo, ficou bastante danificado, segundo a Reuters. "Vários obuses disparados por rebeldes contra o hospital Al-Dabit, no bairro da Mohafaza, no centro de Aleppo, deixaram três mortos e 17 feridos, segundo um balanço preliminar", afirma a agência Sana.

O exército acusa a Frente Nusra , que é ligada à Al Qaeda, Ahrar al-Sham e Jaish al-Islam de estarem por trás dos ataques, segundo a Reuters.

Al Raqqa
Bombardeios contra a cidade de Al Raqqa, o principal bastião do Estado Islâmico na Síria, deixou pelo menos 18 mortos, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). Entre as vítimas estão cinco integrantes do grupo terrorista.

Os ataques aéreos, que não se sabe se foram realizados pela coalizão internacional contra o EI, liderada pelos Estados Unidos, ou pela aviação russa, causaram, além disso, dezenas de feridos, alguns em estado grave, por isso a ONG não descartou um aumento no número de mortes.

Cerca de 35 bombardeios tiveram como alvo distintas partes de Al Raqqa, cidade situada no nordeste da Síria, como os distritos de Al Firdus e Al Saumea, as ruas Seif al Daula e Al Mansur, o parque de Al Rashid, as imediações do estádio municipal e de um tribunal.

Além disso, houve ataques aéreos perto do "escritório da esmola" dos extremistas e do antigo quartel da Divisão 17 do exército sírio, entre outros lugares.

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter