08/05/2016 18h28 - Atualizado em 08/05/2016 18h28

Sheila Mello revela síndrome do pânico antes de ter filha

Mãe de Brenda, do casamento com Fernando Scherer, ex-dançarina do É o Tchan avalia: 'Já tinha conquistado tudo na vida, faltava minha família'

Sheila Mello revela síndrome do pânico antes de ter filha
Sheila Mello e Brenda na sala de casa (Foto: Iwi Onodera / EGO)
Créditos: Matéria Revista EGO

Brenda Melo Scherer tem só 3 anos, mas já imita a mãe, Sheila Mello, nas poses na hora das fotos. A pequena, fruto do casamento da ex-bailarina do É o Tchan com o ex-nadador Fernando Scherer, também adora "assaltar" o guarda-roupa da mãe, onde pega sapatos, brincos e colares. "Ela diz que é para fazer desfile, vem aqui para a sala de casa com meu scarpin e desfila para mim e o Fernando. Mais o que ela mais gosta é de pegar minhas maquiagens, já chega procurando o batom vermelho, que é minha cor preferida, e diz que quer ser igual a mim", revela Sheila - que recentemente disse estar avaliando a possibilidade de dar um irmãzinho para a menina.

Apesar da pouca idade, Brenda já está na aula de dança, por influência da mãe, e na aula de natação, claro, por influência do pai. "Acho lindo vê-la na água com o Fernando. Ela atravessa a piscina por baixo d'água com ele. Incrível essa conexão! Teve uma vez, em Fernando de Noronha, que eles estavam no mar e veio a maior onda. Na minha visão de mãe, lá da areia onde eu estava, era um tsunami. Mas ao em vez de se assustar, ela furou a onda com ele junto e saiu cantando. Ela tem muita segurança no pai."

Sheila Mello e Brenda (Foto: Iwi Onodera / EGO)Brenda imita Sheila (Foto: Iwi Onodera / EGO)

Síndrome do pânico 
Sheila se refere à filha como "meu bálsamo" e conta que antes de formar uma família com Fernando chegou a desenvolver síndrome do pânico. "Brenda foi muito querida e deu significado na minha vida. Antes dela eu queria conquistar muitas coisas e conquistei. Antes de conhecer o Fernando eu tive síndrome do pânico porque já tinha conquistado tudo o que queria em termos materiais e profissionais, mas faltava minha família. A Brenda preencheu esse espaço. Ela me abraça e me beija tanto, diz que me ama muito. É meu bálsamo! E como chamo a Brenda na terapia, de bálsamo", revela Sheila.

Apesar de já ter cogitado a ideia de aumentar a família, Sheila e Fernando ainda não chegaram a um acordo sobre ter mais filhos. "Cresci com família grande, então antes dizia que queria ter quatro filhos. Mas aí a Brenda me preencheu tanto que achei que não precisava mais de tantos. O marido quer muito, conversamos, mas ainda não decidimos nem que sim nem que não", diz ela.

O "pacote" da maternidade
Sheila relembra que na gravidez ficou chateada por não ter enjoado. "Eu estava muito em contato com essas questões, não fiquei com ilusão com maternidade porque tive muitos sobrinhos. Já estava preparada para choro, cólica, tudo. Queria o pacote completo e não tive enjoo", diverte-se ela.

Amamentar não foi sossegado. Eu não tive leite, era uma sensação ruim... Era só angústia."
Sheila Melo

A ex-bailarina também passou por uma experiência na amamentação que desmitificou o "padecer no paraíso" - termo popularmente usado para tentar resumir a avalanche de sentimentos da maternidade.

"Amamentar não foi sossegado. Eu não tive leite. Era uma sensação ruim... Era só angústia. Eu não tive prazer em amamentar, era angustiante. Mas se você não cuidar da sua mente você se sabota com culpa. Tive sorte de ter marido e pediatra maravilhosos que me deram apoio", relembra ela, antes de completar:

"Não que maternidade não tenha uma parte ruim. Não tive decepção com a maternidade, mas acho que as mulheres não se preparam para a parte ruim. Quando vim da maternidade não quis ninguém para nos ajudar com cuidados do dia a dia, eu já tinha passado isso com sobrinhos e só queria receber visitas para preencher Fernando e eu de amor."

Sheila Mello e Brenda (Foto: Iwi Onodera / EGO)Sheila Mello e Brenda (Foto: Iwi Onodera / EGO)

 

Sheila Mello e Brenda (Foto: Iwi Onodera / EGO)Sheila Mello e a filha, Brenda (Foto: Iwi Onodera / EGO)

 

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter