20/04/2016 07h29 - Atualizado em 20/04/2016 07h30

Trinca de atrizes é maior atrativo “O Caçador e a Rainha do Gelo”

Filme, que chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (21), dá sequência de maneira engenhosa aos eventos do filme protagonizado por Kristen Stewart em 2012

Trinca de atrizes é maior atrativo  “O Caçador e a Rainha do Gelo”
Divulgação Emily Blunt e Charlize Theron, irmãs e rainhas más por razões diferentes, ambas querem a cabeça do caçador vivido por Chris Hemsworth
Créditos: Matéria IG

“Branca de Neve e o Caçador” fez um bom barulho em 2012. A releitura do conto de fadas com pegada de filme de capa e espada trazia Kristen Stewart como Branca de Neve eChris Hemsworth como o caçador. O filme fez mais de US$ 360 milhões nas bilheterias mundiais e ainda ganhou os tabloides em virtude do affair da protagonista com o diretorRupert Sanders.

Como em Hollywood o ponto final de uma história não significa exatamente o fim, a Universal resolveu continuar a história da Branca de Neve, mas sem a Branca de Neve. Dessa maneira o projeto “O Caçador e a Rainha do Gelo” ganhou sinal verde. Dessa vez a trama seria focada na figura do caçador e de uma nova vilã, a tal da rainha do Gelo, vivida pela sempre cativante Emily Blunt (“Sicario – Terra de Ninguém”).

O que não quer dizer que a melhor personagem do primeiro filme não volte a dar as caras. Como fartamente mostrado nos materiais promocionais, a rainha Ravenna (Charlize Theron), morta no primeiro filme, está de volta à cena e “O Caçador e a Rainha do Gelo” faz malabarismos narrativos para justificar a trama e as constantes reviravoltas que testemunhamos. A história se passa antes e depois dos eventos de “Branca de Neve e o Caçador”. Portanto, não estamos diante de uma prequela tradicional, mas de um filme que não se furta a usar o melhor da criatividade hollywoodiana – e passa por aí o elenco para lá de atraente com alguns dos nomes mais quentes da atualidade – para apresentar um conto de fadas estritamente cinematográfico.

Charlize Theron: pouco tempo em cena, mas o suficiente para roubar o filmeDivulgação
Charlize Theron: pouco tempo em cena, mas o suficiente para roubar o filme

Freya (Emily Blunt) após vivenciar um grande trauma decide sair da sombra de sua irmã, Ravenna, e constituir seu próprio reinado. Descrente do amor, ela recolhe crianças para transformá-las em caçadores para ampliar seus domínios. Ela proíbe todo e qualquer envolvimento afetivo entre seus comandados. Eric (Hemsworth) e Sara (Jessica Chastain), no entanto, se apaixonam e desafiam o coração gelado da rainha. Essa parte se desenrola antes dos eventos de “Branca de Neve e o Caçador”. Mas existe um tira-teima entre o caçador e a rainha do gelo, como entrega o título nacional do filme, na parte da trama que se desenrola após os eventos mostrados no filme original.

Estreante na direção de longas-metragens, o francês Cedric Nicolas-Troyan, egresso do departamento de efeitos visuais, perde a mão na hora de amarrar tantas arestas e pode ser que um ou outro espectador se flagre um pouco confuso com a linha cronológica dos acontecimentos. O que não impede a diversão. Chris Hemsworth vive com brilho o tipo corajoso, talentoso e displicente, mas é mesmo o trio de atrizes o grande destaque. Theron, com menos tempo em cena, permanece uma presença potente e saborosa. Chastain, para todos os efeitos, a coprotagonista do filme, empresta os habituais charme e competência a sua destemida personagem e Blunt convence o espectador de que nasceu para ser a rainha do gelo em qualquer filme que apresente uma.

Jessica Chastain faz a caçadora dona do coração do personagem de HemsworthDivulgação
Jessica Chastain faz a caçadora dona do coração do personagem de Hemsworth

 

Voltar para o topo
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA Facebook Twitter